Waters of March / Aguas de março

É pau, é pedra, é o fim do caminho / É um resto de toco, é um pouco sozinho
É um caco de vidro, é a vida, é o sol /  É a noite, é a morte, é um laço, é o anzol
É peroba do campo, é o nó da madeira / Caingá, candeia, é o Matita Pereira
É madeira de vento, tombo da ribanceira / É o mistério profundo, é o queira ou não queira
É o vento ventando, é o fim da ladeira / É a viga, é o vão, festa da cumeeira
É a chuva chovendo, é conversa ribeira / Das águas de março, é o fim da canseira
É o pé, é o chão, é a marcha estradeira / Passarinho na mão, pedra de atiradeira
É uma ave no céu, é uma ave no chão / É um regato, é uma fonte, é um pedaço de pão
É o fundo do poço, é o fim do caminho / No rosto o desgosto, é um pouco sozinho
A stick, a stone, it’s the end of the road, it’s the rest of a stump, it’s a little alone
It’s a sliver of glass, it is life, it’s the sun, it is night, it is death, it’s a trap, it’s a gun
The oak when it blooms, a fox in the brush, the knot in the wood, the song of a thrush
The wood of the wind, a cliff, a fall, a scratch, a lump, it is nothing at all
It’s the wind blowing free, it’s the end of the slope
it’s a beam, it’s a void, it’s a hunch, it’s a hope
And the river bank talks of the waters of March
i
t’s the end of the strain, it’s the joy in your heart
The foot, the ground, the flesh and the bone, the beat of the road, a slingshot’s stone
A fish, a flash, a silvery glow, a fight, a bet, the range of the bow
The bed of the well, the end of the line, the dismay in the face, it’s a loss, it’s a find
A spear, a spike, a point, a nail, a drip, a drop, the end of the tale
A truckload of bricks in the soft morning light, the shot of a gun in the dead of the night
A mile, a must, a thrust, a bump, it’s a girl, it’s a rhyme, it’s a cold, it’s the mumps
The plan of the house, the body in bed, and the car that got stuck, it’s the mud, it’s the mud
Afloat, adrift, a flight, a wing, a hawk, a quail, the promise of spring
And the riverbank talks of the waters of March
i
t’s the promise of life / it’s the joy in your heart…

É um passo, é uma ponte, é um sapo, é uma rã
É um belo horizonte, é uma febre terçã

São as águas de março fechando o verão
É a promessa de vida, no teu coração

É pau, é pedra, é o fim do caminho
É um resto de toco, é um pouco sozinho

É um caco de vidro, é a vida, é o sol
É a noite, é a morte, é um laço, é o anzol

São as águas de março fechando o verão
É a promessa de vida no teu coração

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s